segunda-feira, 27 de julho de 2015

Solidão


Às vezes nem parece que aconteceu e me pego esperando uma ligação, sua chegada, um abraço ou mesmo uma simples mensagem no celular, mas no milésimo de segundo seguinte a realidade me toma por completo e a saudade me bate com tanta força que o dia passa a ter quinhentas horas de tão longo e triste. Nunca tinha entendido esse sentimento chamado saudade até agora, mas durante esses últimos seis meses ele vem me acompanhando dia após dia sendo a primeira coisa que sinto ao acordar e a última antes de dormir. E só durante um sonho para conversar e ver teu sorriso, como se estivesse aqui ao meu lado novamente, mas ao acordar mais uma vez a realidade vem como um assombro me colocar no lugar exato onde você me deixou: na solidão.
Tudo é tão novo e ao mesmo tempo tão velho, às vezes me pego sem medo de nada por que afinal de contas o pior já aconteceu: você se foi. E é totalmente diferente de um término, de uma traição ou decepção de qualquer forma presencial, pois você foi para um lugar onde não posso ir, inalcançável, um lugar que só posso imaginar vagamente onde e como seja ou onde alguns livros dizem ser como é, no final não passam de divagações e tenho que ter fé para que tudo isso que ando lendo seja real, só assim, nada disso terá sido em vão.
Banalidades do dia a dia queria poder te contar e sei que iria rir junto comigo, bem como ouvir minhas reclamações sem fim e minhas raivas sem fundamento que no final eu receberia um abraço e um beijo que me acalmaria por completo e pronto.
Presença forte.
Presença presente.
Presença real.
Agora ausência que sufoca, que me faz pensar e sentir uma falta como nunca tinha sentido na vida: a sua falta.


2 comentários:

FOXX disse...

olha só quem voltou a postar...

Homem, Homossexual e Pai disse...

a saudade de quem não pode voltar sufoca, oprime e machuca! belo texto, conheço bem este sentimento!