terça-feira, 29 de novembro de 2011

Resumão do Final de Semana!

E aqui vai um resumo do meu maravilhoso e normal final de semana. E alguém pode se perguntar:
“Ele vai postar o resumo do final de semana no meio da semana?!”
E eu digo: É isso mesmo! ¬¬
Comecei o sábado dando aquela pesquisada e lida de praxe.

Depois consegui dá à luz (parir como se diz aqui na Terra do Sol) a seis lindas páginas de um projeto do mestrado.


Ligações e contatos feitos e uma saidinha logo mais a noite com os friends é agendada!


Chego perto do local indicado segundos depois de um arrastão, digo flash mob, ter acontecido! E eu pensei: Que sorte, Brasiiilll!! Ponto pra mim! #AlívioFeelings


Começo uma tequilada de leve, para não perder o costume.


Vou sensualizar na pista de dança!


E não é que apareceu um boy magia?!


Já no domingo acordo ótimo, só que ao contrário!


Depois de me recompor, só que não, assisto a uma maratona Matrix na TV e penso que quando assisti pela primeira vez a milhões de anos atrás eu só entendi uma coisa: NADA!


E no final da noite eu senti vergonha alheia mode on total, mas tive que fazer cara de paisagem, porque eu estava em um ambiente hostil!


Fim do final de semana. Agora vamos trabalhar?! ¬¬

sábado, 26 de novembro de 2011

Memória dos Nove Meses: Adoro a Sua Barba Parte I



Durante uma festa na Terra do Sol e depois de me conformar que naquele lugar só tinha uma coisa boa pra mim: NADA!
Eu o vejo. Parado com sua bebida na mão.
Não sei se me olhava naquele momento, mas fiquei prestando atenção e percebi que estava sim me olhando... Passou uma vez e olhei... Outra vez e me olhou... Na terceira retribuo o olhar acompanhado de um sorriso e recebo outro em troca.
Lindo sorriso.
Decido ir ao seu encontro, mas uma amiga dele chega e fica conversando, mas não desisti, esperei uma eternidade até que ela saísse e andei ao seu encontro.
Fui recebido com um sorriso lindo no meio daquela barba por fazer que era um charme.
Um pouco mais baixo que eu, rostinho lindo, educado e muito simpático.
Durante as apresentações e ele fez uma piadinha com seu próprio nome para que eu não esquecesse... E deu certo, desde aquele dia nunca mais esqueci.
E seguiu-se uma noite maravilhosa, com muitas risadas, beijos maravilhosos e regada a muita tequila (no meu caso).
Saímos no dia seguinte, e no seguinte e quando não, trocávamos ligações e torpedos e assim se passou a primeira semana envolta sempre em conversas interessantes e engraçadas, beijos e abraços deliciosos...
Na segunda semana tive que fazer uma viagem e enquanto estava fora recebi uma ligação:
“Estou te ligando para expressar a minha indignação por você não estar aqui ao meu lado agora!”

CONTINUA...

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Memória dos Nove Meses: Experiência de Quase Morte!

Cansado dessa vida de “pinadas”, fedor, assalto e aperto em ônibus, resolvi fazer um gasto: Comprei uma moto.


Ia para qualquer lugar da cidade sensualizando em cima dessa moto, fazendo caras, bocas, olhos and sobrancelhas quando tirava o capacete onde quer que fosse e, óbvio, descia com toda a sensualidade a mim conferida (obrigado mãe e pai).


Era um dia normal de uma semana normal com uma aula normal e eu normalmente lindo, estava pilotando minha moto na faixa da direita, quando de repente veio um outro “colega motoqueiro" da faixa da esquerda, que estava quase ao meu lado, pegou a direita me cortando e entrando na rua (estávamos atravessando um cruzamento)... Consegui desviar da moto dele, mas não pude evitar a queda.
Vi o paralelepípedo vindo em direção ao meu rosto e não pude fazer nada: PÁ!
Fiquei estirado com a cabeça no meio fio e o corpo na pista.
Começou a brotar populares até do chão.
Minha mochila foi parar uns 15 metros de distancia.
Meus óculos escuros quebraram junto com a viseira do capacete.
Minha boca sangrando horrores, um braço rasgado e um joelho fudido.
Me levantei tonto e alguém me entregou a mochila (Milagre! Até agora eu me pergunto  como ninguém a roubou...), outro nativo (lindo por sinal) me ofereceu uma cadeira, mas teria que entrar na sua loja. Não aceitei.
Multidão. Vergonha. Ódio.
O engraçadinho que ocasionou tudo foi embora sem nem olhar para trás.
E pra ficar ainda mais delicioso: Começou a chover!
Olhei para a moto estendida na pista, fui em sua direção, levantei, subi e voltei pra casa com ódio, boca sangrando e na chuva.
Eu me lasquei todo e a moto ficou intacta. Delicinha né?!
Moral da história: Fiquei com trauma, vendi a moto e voltei a ser pinado, assaltado, empurrado e espremido no ônibus por pessoas fedorentas do sovaco cabeludo.

domingo, 20 de novembro de 2011

Pensando: Esperar.



Me peguei pensando e esperando por algo que nunca irei ter. Sei que um dia isso já passou pelas minhas mãos, mas por um golpe do destino se foi...  Deparei-me com uma espera injusta e sufocante de algo que nunca mais vou possuir... Parei, pensei, esperei...
Mas o que realmente eu espero é possível? Qual o caminho que devo seguir para conseguir o que eu nunca vou ter? Se sei que nunca vou ter, porque espero sofrida e ansiosamente pelo momento de sentir outra vez? Espero, espero e paro.
Parei.
Hoje tenho a consciência que não virá, sempre soube na verdade, então devo seguir outro caminho, o lado que me é permitido seguir, sem esperas injustas e com outras perspectivas, outras “esperas”, mas agora só vou parar para esperar o que é possível, o que é palpável... Quero tocar com as mãos, sentir, segurar com força e se possível nunca soltar...
Quero esperar, mas agora uma espera justa... Se possível.
Ao invés de esperar posso procurar... Procurar o possível.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Voltando com Alguns Pensamentos Vagos: O Emprego do “Mas”!



Voltando!

Depois de onze meses eu volto a fazer o que tanto me dava prazer: postar no meu blog que tanto adoro.
Esse tempo foi necessário para pensar, refletir e acumular inúmeras histórias, pensamentos and reflexões que vou postar por aqui e que não necessariamente são recentes, mas que tomaram algum tempo da minha movimentada vida nesse período que estive “fora”.
Espero que vocês gostem da nova versão revista e atualizada do blog com várias histórias loucas e divertidas, mas com reflexões sem sentido também!
Agradeço a todos o carinho e vêeemm cómêegóoo!!

PS: Importei o blog, mas os seguidores sumiram... Pensei que vinha o pacote completo... alokaa!! hehehehe!! enfim... ;)

Pensamentos Vagos: O Emprego do “Mas”!

Quando se tem a esperança de que algo vai acontecer, sobretudo quando o assunto é amor, essa esperança te aprisiona em uma situação que sua cabeça cria que possa ser realidade, mas na verdade não passa simplesmente da vontade de que aquilo que você está querendo se torne verdade.
“Ele disse que ia me ligar”, “ele disse que eu sou um cara legal”, “você é maravilhoso, um dos caras mais fantásticos com quem já fiquei” e blá, blá e blá.
Se eu sou tão maravilhoso assim, por que você não quer ficar comigo?
Isso se chama: Desculpa esfarrapada!
Eu sempre digo que quando uma pessoa está elogiando demais a outra é porque vai vir um “mas” na frase e se esse “mas” aparecer pode esquecer tudo que foi dito antes, porque o que vai realmente valer é o que vem depois dele.
Caso exposto 1: “Você é o cara mais honrado que eu conheço, estou adorando sair, conversar, você (olha dentro dos seus olhos) é bonito, inteligente, carinho, MAS eu não quero nada sério, você com esse seu jeito fantástico vai encontrar alguém facilmente...”.
Caso exposto 2: “Nossa esse seu projeto está ótimo, muito bom mesmo, eu não sou de elogiar muito e você sabe disso, estou falando isso porque dessa vez você se superou mesmo, MAS eu faria algumas modificações nesse projeto devido ao...”.
Não criar falsas esperanças e se manter firme é preciso e, além disso, tenha em mente o real poder do “mas”, porque com certeza ele foi usado tanto a favor como contra você.