quinta-feira, 28 de outubro de 2010

A Felicidade!


Era uma vez uma cara legal, feliz, super de bem com a vida e com seu corpinho esculpido em horas na academia. Um dia foi dançar com seus amigos como de costume e com a sua inseparável caipirinha e conheceu um carinha super legal, feliz, super de bem com a vida e com seu corpinho esculpido em horas na academia. Conversaram, riram e ficaram.
Não demorou muito para começar um namoro e demorou menos ainda para o primeiro carinha conhecer melhor o segundo e com isso o primeiro que era feliz ficou infeliz, que era super de bem com a vida ficou super de mal com a vida e seu corpinho fazia meses que não sentia a força de um supino reto.
A máscara do segundo foi caindo pedaço a pedaço, ele não era tão legal e muito menos feliz como ele queria mostrar e seus músculos eram resultados de várias aplicações de anabolizantes. Ele não era uma “boa” pessoa.
Ele era um fake.
O primeiro cara e “ex-de bem com a vida” pensava: “o que estou fazendo aqui? Não preciso disso, ele me enganou e acabou me levando o que de melhor eu tinha!”
Primeiro cara diz ao fake: “Vou embora!” e foi!
Na saída do restaurante, onde aconteceu o término, ele já podia sentir a sua velha felicidade voltando, já começava a se sentir de bem com a vida de novo e já ia refazer sua matrícula na academia, quando foi atropelado por um ônibus em frente ao restaurante, pois saiu tão feliz que atravessou a rua sem olhar para os lados.
Morreu.
Sim ele morreu, mas morreu feliz.

OS: Eu nem preciso dizer que isso é um conto néah?!

10 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

É, nem precisa, mas um conto trágico, você bem que podia ter dado outra oportunidade ao primeiro cara.
Bjão

Gabriela Pinheiro disse...

Tenso!

Stripped & Raw disse...

nossa...tadinho do cara "de bem com a vida"! Você andou assistindo premonição, né!? Vaaai, confessa!? rsrsrs

So tragic! But awesome!

bjos

Paulo Braccini disse...

ai ki horror!!!

bjux

;-)

Eric Felipe disse...

Ah... fiquei torcendo tanto para que ele encontrasse algum carinha que o fizesse feliz, logo após sair do restaurante. :/

Coitado, pelo menos morreu feliz.

Abraço.

FOXX disse...

eu adorei!
hehehe

Mauri Boffil disse...

mera ficção! :D

Edilson Cravo disse...

Adorei o conto, como diria minha avó, "nem tudo q reluz é ouro". apareça mais no Lua, hein? Anda mto sumido! Vou vir aqui puxar suas orelhas - rs. Lindo fds, querido, e um abraço.

dand disse...

Van, nao gostei do final do seu conto, pensei que era vc bobo, aé chorei!
Mas me diga, o que é "sentir a força de um supino reto?" , eu sou meio inocente pra estas coisas..OMG rsrs.


ABRaços.

Lília disse...

No início eu fiquei pensando... já vi essa história em algum lugar, mas o final foi tão trágico que eu me mijei de rir...kkkkkkk