sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Distant Dreamer


Eu estava no msn quando o Glauber me mandou um vídeo com uma música muito interessante e escutei com calma, escutei de novo e mais uma vez e adorei!
E vou colocar abaixo um vídeo dessa música que fala sobre sonhos, esperança e, sobretudo sobre a força de continuar sonhando. Mas vejo não como um sonho qualquer de felicidade boba, mas sim como um sonho forte e verdadeiro de mudança, a real mudança.
Duffy com “Distant Dreamer”.
 

Abaixo alguns trechos da letra:

“Although you think I smile, inside all the while... I'm wondering about my destiny.”
“Embora você pense que eu esteja sorrindo por dentro o tempo todo eu estou perguntando sobre o meu destino.”
“I'm thinking about all the things, I’d like to do in my life.”
“Estou pensando sobre todas as coisas que eu gostaria de fazer na minha vida”
“I'm a dreamer, a distant dreamer, dreaming for hope from today.”
“Eu sou uma sonhadora uma sonhadora distante sonhando com a esperança, a partir de hoje.”
Acho que já disse aqui que música pra mim tem que me dizer algo e essa me diz bastante.
            Espero que gostem. 
            Letra completa aqui.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

A Felicidade!


Era uma vez uma cara legal, feliz, super de bem com a vida e com seu corpinho esculpido em horas na academia. Um dia foi dançar com seus amigos como de costume e com a sua inseparável caipirinha e conheceu um carinha super legal, feliz, super de bem com a vida e com seu corpinho esculpido em horas na academia. Conversaram, riram e ficaram.
Não demorou muito para começar um namoro e demorou menos ainda para o primeiro carinha conhecer melhor o segundo e com isso o primeiro que era feliz ficou infeliz, que era super de bem com a vida ficou super de mal com a vida e seu corpinho fazia meses que não sentia a força de um supino reto.
A máscara do segundo foi caindo pedaço a pedaço, ele não era tão legal e muito menos feliz como ele queria mostrar e seus músculos eram resultados de várias aplicações de anabolizantes. Ele não era uma “boa” pessoa.
Ele era um fake.
O primeiro cara e “ex-de bem com a vida” pensava: “o que estou fazendo aqui? Não preciso disso, ele me enganou e acabou me levando o que de melhor eu tinha!”
Primeiro cara diz ao fake: “Vou embora!” e foi!
Na saída do restaurante, onde aconteceu o término, ele já podia sentir a sua velha felicidade voltando, já começava a se sentir de bem com a vida de novo e já ia refazer sua matrícula na academia, quando foi atropelado por um ônibus em frente ao restaurante, pois saiu tão feliz que atravessou a rua sem olhar para os lados.
Morreu.
Sim ele morreu, mas morreu feliz.

OS: Eu nem preciso dizer que isso é um conto néah?!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Perguntas e Frases!



Perguntas que passaram na minha cabeça durante esse quase um mês sem postar (entendam como um “resumão” dos acontecimentos):
Eu posso simplesmente sair pra uma balada e me divertir sem a pressão de ficar com alguém?
Pode, mas o povo vai falar: “O que você tem? Coisa estranha não ter ficado com ninguém ainda!” ¬¬
Por que a minha felicidade deve estar atrelada a outra pessoa? Eu não posso ser feliz sozinho?
Cheguei à conclusão que não tenho conclusão!

Será que sou obrigado a perdoar todas as pessoas que me fizeram mal?
Se você quiser ir pro céu: Sim! Oi?!

Que horas vai chegar o sucesso financeiro?
Me diz aí um horário pra me preparar físico e psicologicamente!


Frases que ouvi nos últimos dias:
“Parabéns você fez um trabalho maraaavilhoooso, o Vanderson é inteligente (se dirigindo à outra pessoa e fingindo que eu não estava presente), mas ele está como posso dizer... desmotivado!”
Oi?! Esse é o típico elogio seguido de uma facada certeira bem no seu heart, mas eu fiz a egípcia lindamente !

“Nossa que coisa linda, você é maravilhoso!”
Eu sei que sou maravilhoso! Próximooo! ¬¬
“Tu sabe que pra todo mundo dá certo, mas quando chega na minha vez...”
Essa não vou nem comentar!

PS: Gente desculpa a demora nas postagens é que esse mês foi super conturbado, mil coisas pra fazer e acontecendo, mas na medida do possível vou visitando todos os blogs que tanto adoro! Beijos e abraços pra todos e obrigado pelas visitas aqui no meu pequeno world!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Duas em uma: A Eleição e o Débito Automático.


 Nove horas da manhã chego à minha seção de votação. Fila gigante. Penso “puta merrda” e vou pra fila. Na minha frente tinha uma senhora morrendo de conversar com seu filho (devia ter uns oito anos no máximo). “Blá, blá, blá num sei o que lá... paizinhoooooo?” mia a mulher e eu só ouvi o “paizinhooooooo” e comecei a prestar atenção nessa conversa da “mãezinhaaaaaaa” e do seu filho “paizinhooooooo” e ela toda trabalhada no amor “paizinhoooooo o que você acha da mamãeeeeeee comprar um pula-pula pra colocar na minha empresa de produção de festas infantis?” e eu pensando com o olho duro nela “essa mulher quer jogar na minha cara que tem uma empresa de produção de festas infantis? Será? Ela só engana uma pessoa nessa fila: ninguém!” e o filho respondeu “mãe acho melhor a senhora pegar esse dinheiro e investir em outra coisa mais importante.” E minha cabeça em parafuso e super chocado pensei intrigado “esse menino é um anão só pode, ele deve ter uns trinta anos, porque pra estar aqui com uma conversa dessa de investimento?”.
E decidi não prestar mais atenção nessa conversa, mas era impossível porque ela falava, ou melhor, miava muito alto. Horrível.
Depois de duas horas ouvindo conversa mole em pé numa fila cheia de grávidas, idosos e deficientes físicos entrando na minha frente, finalmente consegui votar. ¬¬
Débito Automático
            Mari, Flávia, Náyra e eu fomos comer em uma loja perto da faculdade, onde vende salgados e doces maravilhosos. Chegamos. Pedimos. Comemos. Rimos muito. Minha conta deu 10,00 reais (super de bem), me dirijo ao caixa e digo ao jovem senhor entregando meu cartão de débito: “Olha passa 4,00 reais no débito e o restante eu pago em dinheiro.” E fui abrindo a bolsa procurando o dinheiro e o senhor diz “Por que você não passa tudo no débito?” e eu falecido respondi “porque eu só tenho quatro reais e setenta e cinco centavos na minha conta!”. ¬¬