sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Reflexão no Bus



Eu fico muito pensativo quando ando de ônibus, principalmente quando é de manhã cedo indo pra faculdade. Fico refletindo e me indagando o porquê das pessoas saírem de casa sem tomar um banho ou dá aquela simples “aciada”, não são todas claro, mas as q não praticam isso acabam se destacando mais. Fico tenso.
Como competir com uma pessoa que não toma banho e esbanja fedor por onde passa?
Por mais que cada um saia de casa cheiroso ninguém vai nos notar, pq tem um fedorento ali “carniçando” o ambiente e consequentemente chamando mais atenção que você.
Passei por isso hoje (¬¬), eu em pé (claroo) e um cara lá com os braços levantados segurando no ferro usando aquela camisetinha sem manga os cabelos do sovado tudo breado de suor e com aquela cara “dormi com essa roupa e quando o despertador tocou corri pra parada de ônibus” e a catinga no mundo pq ele tava estrategicamente posicionado perto de uma janela, aí já viu né?! Catinga de azedo pra todo lado!
Moral da história: Tire sua carteira de motorista e dirija o carro que vc tem em casa!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

O cravo e a Rosa.


‘’O cravo brigou com a rosa debaixo de uma sacada, o cravo saiu feliz da vida e a rosa despedaçada. ‘’
Essa é a verdadeira história do cravo e da rosa. Sim, ela me contou a real história e estou aqui pra lhes repassar...

A rosa em seu momento desabafo escreveu-me isto:

É tão triste quando se ama um coração que já ama um outro que não é o seu... E essa dor que se sente?Passa?E por que tanta dor? Por que tanto sofrimento?
Tanta mágoa, tantas palavras ditas, tantos insultos recíprocos, e pra que? Pra depois de uma conversa ‘’quente’’ eu ver sendo escrita as palavras: “ Vou ser sincero contigo...eu AMO minha namorada’’! E a palavra amo em letras garrafais , como que se quisesse que o mundo escutasse. Poderia ser também uma auto-afirmação, visto que o desejo ainda existe, algo mal resolvido.
Mas ontem acho que essa novela mexicana barata teve o fim que há tempos deveria ter tido.
Depois da quebra de clima veio o momento discussão: “Acho melhor então a gente não se falar mais’’, você não acha que é o certo? (Cravo perguntou, e eu respondi que sim).Cravo indeciso jogava a decisão pra mim e eu devolvia: Você, o que acha? Pq quer isso? Resposta: Pq eu to necessitado,pq eu sentia desejo por você na época que a gente ficava,pq a gente acabou, pq não dá certo essas conversas entre pessoas que já ficaram, pq você ainda sente algo por mim...

Daí Rafa, diante disso eu só senti a vontade de jogar a verdade, a verdade de que ele estava certo em relação aos meus sentimentos, talvez ele só saiba superficialmente, e chegamos à conclusão de que o melhor a se fazer era perdermos contato mesmo e não nos falarmos mais, quem sabe nunca mais. O cravo saiu dessa história feliz, com uma dessas flores ai qualquer, e eu ...

Minha resposta a Rosa:

Sei o quanto você luta contra esse sentimento, sei o quanto você não queria sentir tudo isso, mas Rosa esqueça-o e faça por onde. Não volte atrás. Você está no caminho certo!O cravo é um burro idiota e você é uma rosa linda...infelizmente temos de passar por essas provações pra lá na frente encontrar a felicidade. Sorte!

Rosa me escreveu isto dia 11/02/2010.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Nada na Cabeça!


Fiquei pensando durante dias no que postar e confesso que não cheguei a nenhuma idéia interessante, pensei em falar sobre sexo, fuás ou até mesmo contar uma saída com a galera na segunda de carnaval, mas não consegui passar isso pro “papel” por isso vou escrever o que vier na minha cabeça nos próximos minutos.
Estou escutando nesse exato momento “I believe in you” da Kylie Minogue e fico pensando se realmente existe uma pessoa que possamos confiar com essa força que ela fala na musica com essa vontade mesmo e falo em todos os aspectos da vida como: amizade, amor, família, acho que todos acabam por nos decepcionar.
Agora começou “Dancing Queen” do Abba e me deu vontade de passar a noite dançando me jogar numa pista de dança pq a musica diz “You can dance, you can jive” e acho digno! Reza a lenda que todos podem fazer isso.
Já se passaram alguns minutos e agora tá tocando “Rehab” da Amy e não , não quero ir pra Rehab!
Acelerando o relógio estou ouvindo agora, pasmem, “Larger than life” dos Backstreet Boys e confesso que não pensei em nada só lembrei dos robôs do clipe. ¬¬
Agora estou pensando na cara de vcs pensando: “como ele consegue escutar essas coisas?”

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Sobre TRÊS coisas....

Depois de um tratamento ortodôntico, ouvir boquiaberto (literalmente) os relatos do meu dentista e observar os casais próximos a mim conclui que para um relacionamento dar certo, seja ele namoro ou mesmo casamento, a pessoa com quem você quer viver essa experiência deve preencher PELO MENOS UM dos três requisitos abaixo:



1°) Gostar da sua FAMÍLIA: Achar sua mãe uma megera, seu pai um ditador, sua irmã uma metida ou seu irmão um folgado é de lascar neh! E por mas que seja verdade rsrs, temos de lembrar que sempre existiram os almoços de domingo, aniversários de parentes e festas natalinas que exigiram sua presença e a da sua amada (o) sendo assim não custa nada pedir pro seu amor se esforçar um pouquinho e tentar curtir sua família junto com vc. : )



Ex: “Não irei pra casa da sua mãe hj! Aquela “véia” vai ficar falando que estou gorda ou ainda reclamar que não cuido bem de vc. Prefiro ir almoçar na casa de mamãe. (Fala acompanha com cara de abuso)



2°) Gostar dos seus AMIGOS: Tudo bem! sua amada ou amado ao curti um programa família, especialmente com SUA família, mas pelo menos ele deve curtir um programinha com seus amigos neh! e não achar que eles são um bando de safados que só te chamam pra farrear, beber ou te apresentar à pessoas novas ou achar ainda que são um bando de pessoas sem graça e não entender como alguém como você se diverte com gente como eles!!!! ¬¬

Eles são seus amigos! Serão eles que irão freqüentar sua casa e serão os padrinhos dos seus filhos e não é exigir demais esperar que sua amada (o) vire amiga (o) dos seus amigos ou pelo menos tenha uma boa relação com eles.



Ex: “Por que nós temos de sair outra vez com aquele seu amigo solteiro?? Se ele é feio ou não tem competência de conquistar alguém... não vai ser eu que vou aturar ele segurando vela a noite toda. (Fala acompanhada de veneno escorrendo pelo canto da boca)



3°) Gostar das COISAS QUE VC GOSTA: Se seu “amorzinho” não gosta de sua família nem gosta de sair com seus amigos! Eu espero que pelo menos ele goste de fazer as coisas que vc curte fazer, e se nem isso sua amada (o) gostar de fazer... Meu caro sinto muito, o namoro de vcs será fadado ao fim, afinal vcs não terão nada pra fazer juntos além de beijos e amassos, e cá entre nós... nem só disso vive um relacionamento.



Ex: “Amor não quero ir pro cinema não!!! Você sabe que não gosto de assistir filme legendado. Ou eu presto atenção no filme ou leio as legendas. (Fala acompanha com cara de lerda, ops, retardada, ops, burra, ops... sei lá o que!!!!) ¬¬

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Sem censura.



Não, não é aquele programa da TV cultura não,viu?! (Apesar de gostar de assisti-lo).



Poxa, ia começar como de praxe, falando de mais uma saída (parece até que eu vivo saindo ¬¬). Pensando aqui em como começar...mas, não tem outro jeito de começar não... Pois bem, estávamos indo a mais um pré-carnaval do bloco unidos da cachorra, já tradicional aqui em Fortaleza, só que dessa vez não fomos segui-lo pelas ruas, pois eu estava trabalhando e Terezinha tinha acabado de voltar de viagem, fomos só vê-los tocando no palco armado lá no aterrinho. Assim que chegamos algo nos chamou atenção.



Era um grupo de mais ou menos 15 pessoas. Eles se destacavam em meio a multidão, pareciam mais felizes que todos ali em volta. Eles pulavam, dançavam, cantavam a letra da música errada, davam cambalhotas, bebiam, fumavam, não se importando com a opinião das pessoas que os rodeava. Me pareciam desprovidos de qualquer censura. Eu logo quis me juntar a eles, lógico. Demos uma volta e quando retornamos paramos próximo a eles e logo começamos a dançar e foi quando me vi de mãos dadas sambando com a Paçoca (Yasmin), meu amigo Glauber ‘’disputando’’ samba com um argentino e Terezinha tirando a sandália, colocando ela no mesmo monte de sandálias do grupo, ou seja, já estávamos inseridos na galera sem censura. E pra fechar com chave de ouro, até fotos tiramos.



Depois de conversarmos com eles descobrimos que esse povo era o povo da filosofia e me parece que estava tendo um congresso por aqui, logo tinha gente de tudo quanto era canto.



Esse ano vou tentar me censurar menos e ser mais feliz!